Oak Energia – Energia Solar Fotovoltaica, Biodigestor e Energias Renováveis

Sistema Fotovoltaico e seus excelentes retornos

Sistema Fotovoltaico Personalizado – Guia Completo da Energia Solar

Sistema fotovoltaico e seus fundamentos

Além de ser um prazer imensurável aproveitar o sol, também podemos produzir nossa própria energia elétrica utilizando a radiação solar. Nesse cenário de produção de energia, de forma sustentável, o herói pode ser chamado de sistema fotovoltaico.
Sistema fotovoltaico personalizado
Sistema fotovoltaico personalizado

Um sistema fotovoltaico nos permite aproveitar a energia do sol e produzir nossa própria energia elétrica, de forma sustentável, ao longo de vários anos. Neste artigo você irá aprender muito mais sobre os sistemas fotovoltaicos, sobre as características que deve avaliar previamente para conquistar os melhores resultados possíveis. Além de te ajudar a comprar o seu, nesse post você vai ver dicas de como conquistar sua independência financeira com boas vendas de sistemas fotovoltaicos.

Quer ficar por dentro de como fazer um excelente investimento em um sistema fotovoltaico?

Leia este artigo até o final e aprenda muito mais!

Célula fotovoltaica e o Efeito fotovoltaico

Tecnicamente, quando a radiação solar atinge as células fotovoltaicas, constituídas por um material semicondutor, ocorre o efeito fotovoltaico. Como consequência, o sistema fotovoltaico converte essa energia solar em energia elétrica, nos permitindo a utilização dessa energia em nossas residências, empresas e em propriedades rurais.
Antes de compreender as principais características técnicas de um sistema fotovoltaico, é melhor compreender a raiz da produção da energia a partir da energia do sol (energia solar). Para tanto, temos que compreender a célula fotovoltaica, principal constituinte dos sistemas fotovoltaicos e o efeito fotovoltaico. Nesse sentido, veja a seguir as principais características dessas células e o efeito fotovoltaico.

Quer ficar por dentro de muito mais sobre os sistemas fotovoltaicos?

Siga a Oak Energia no Youtube

Aula ao vivo todas as quintas-feiras às 20:04 h.

Célula fotovoltaica

Celula_fotovoltaica-removebg-preview.png
Célula fotovoltaica (principal constituinte do sistema fotovoltaico)
As células fotovoltaicas têm potencial na ordem de poucos Watts (aproximadamente 1 a 5Wp, uma tensão de poucos volts (aproximadamente 0,4 a 0,5V) e são capazes de produzir uma corrente de poucos amperes (aproximadamente 1 A). Para obter maiores potências, as placas fotovoltaicas (conjunto de células fotovoltaicas) devem ser ligadas (tanto em série quanto em paralelo), resultando em módulos com potências na ordem de 50 a 600Wp (Wp = Watts pico).
As células fotovoltaicas mantém um fluxo de elétrons organizado num circuito elétrico metálico. Enquanto houver incidência de luz solar sobre as células (com energia suficiente), será convertida a radiação solar em energia elétrica. Vale destacar que as células fotovoltaicas não armazenam energia elétrica.
No processo de conversão da energia solar em energia elétrica a célula fotovoltaica é a menor unidade fundamental do sistema fotovoltaico. Essas células fotovoltaicas são fabricadas a partir de materiais semicondutores. Ou seja, material com características intermediárias entre um condutor e um isolante. Esses semicondutores são caracterizados pela capacidade de converter a radiação solar em energia elétrica.
Atualmente, existem no mercado diversos tipos de células fotovoltaicas, principalmente a base do semicondutor silício (Si).  Como por exemplo são encontradas as seguintes células fotovoltaicas: célula de silício amorfo (mais antigas com, aproximadamente, 5 a 10% de eficiência), célula de silício poli cristalino e silício monocristalino (com eficiência superior a 20%). Nesse sentido, os módulos fotovoltaicos constituídos por células monocristalinas possuem as maiores eficiências.

Efeito fotovoltaico

A energia fotovoltaica é obtida através da conversão direta da energia solar em energia elétrica. Esse fenômeno denominado de efeito fotovoltaico foi relatado pela primeira vez pelo físico francês Edmond Becquerel em 1839.
Edmond Becquerel
Edmond Becquerel descobridor do efeito fotovoltaico
O efeito fotovoltaico consiste no surgimento de uma diferença de potencial elétrico (DDP) nos extremos de uma estrutura de um semicondutor, causado devido à incidência de radiação solar. Impulsionadas pelas novas descobertas da microeletrônica, em 1956 foram construídas as primeiras células fotovoltaicas industriais.

Compreensão do efeito fotovoltaico

Resumidamente, o efeito fotovoltaico pode ser entendido como a interação da radiação solar com as células fotovoltaicas. Atualmente as células fotovoltaicas são constituídas, basicamente, por silício (material semicondutor) dopado com outros elementos químicos como o boro e fósforo. A radiação solar possui energia suficiente para excitar os elétrons desse semicondutor e promover a conversão da radiação solar em energia elétrica, com a produção de corrente contínua (CC).
Quimicamente, a incidência da energia solar promove a excitação dos elétricos e como consequência ocorre a geração de “elétrons-lacuna” na célula fotovoltaica. Ou seja, os elétrons livres da banda de valência do silício serão conduzidos para a banda de condução. De forma geral, esse deslocamento de cargas elétricas dará origem a uma diferença de potencial (Volts) e uma corrente elétrica (Amperes), o qual podemos chamar de efeito fotovoltaico. O silício é o material mais comumente utilizado na construção desses semicondutores. O cristal de silício puro não possui elétrons livres e, portanto é um mau condutor elétrico.

Dopagem do Silício

Para tornar o o silício um semicondutor ainda mais eficiente, acrescenta-se um pequena porcentagem de outros elementos (ex. fósforo e boro). Esse processo é denominado como dopagem e ocorre após a etapa de purificação do silício.
Silico-B-e-P.png
Dopagem do átomo de silício com Boro e Fósforo.
A dopagem do silício com o fósforo obtém-se um material com elétrons livres (silício tipo N). Realizando o mesmo processo, mas agora acrescentado o elemento Boro, obtém-se um material com deficiência de elétrons ou um material com cargas positivas livres (silício tipo P).

Efeito fotovoltaico: junção P-N

Quando a luz solar incide sobre as células fotovoltaicas, seus fótons de luz excitam os elétrons do semicondutor silício. Quando ambas as partes são unidas (silício tipo N e tipo P), na região P-N, forma-se um campo elétrico devido aos elétrons livres do silício tipo N que ocupam os “vazios” da estrutura do silício tipo P. Devido ao campo elétrico gerado pela junção P-N, os elétrons se deslocam.
Efeito fotovoltaico
Esquema do efeito fotovoltaico no átomo de silício
Por fim, ligando a região negativa à positiva, por meio de um condutor externo, gera-se um fluxo de elétrons ordenado, a qual é denominada corrente elétrica contínua. Enquanto a energia do sol (luz do dia com radiação com energia suficiente) incidir sobre as placas fotovoltaicas, será mantida a geração da corrente elétrica e a intensidade dessa corrente será proporcional à intensidade da energia solar incidente.

Complexo? É a química a nosso favor. Mas agora você já sabe, realmente, como funciona uma célula fotovoltaica. Dessa maneira, já compreende o fundamento de um sistema fotovoltaico. Parabéns!

Quer saber ainda mais sobre as células fotovoltaica e o efeito fotovoltaico? Veja esse vídeo do canal da Oak Energia sobre células fotovoltaicas e efeito fotovoltaico.

Principais itens de um sistema fotovoltaico

Agora que você já compreendeu o que é o efeito fotovoltaico e as principais características das células fotovoltaicas, podemos avançar. Veremos a seguir os principais itens que estão presentes em um sistema fotovoltaico. Ou seja, vamos compreender mais sobre os módulos fotovoltaicos e sobre os inversores solares.

Módulos fotovoltaicos

DSC01987-scaled.jpg
Módulo fotovoltaico
Os módulos fotovoltaicos são constituídos por conjuntos de células fotovoltaicas (material responsável pelo efeito fotovoltaico). Atualmente são encontrados módulos fotovoltaicos com 72 célula fotovoltaicas. Nesse sentido, os módulos fotovoltaicos são responsáveis pela captação e conversão da energia solar em energia elétrica. Um sistema fotovoltaico pode ser constituído por apenas um módulo fotovoltaico ou por milhões de módulos. No mercado nacional e internacional é possível encontrar diversas marcas, modelos, eficiências e garantias.
O conjunto de diversos módulos fotovoltaico constitui um painel fotovoltaico e a organização de painéis é denominado arranjo fotovoltaico. Os módulos solares estão em crescente aumento de eficiência de produção de energia. Atualmente, é possível encontrar módulos com potência de 500W com, aproximadamente, 20% de eficiência (% da energia do sol que atinge a superfície da placa solar e é convertida em energia elétrica). Em suma, os módulos possuem 25 anos de garantia no mercado mundial. As principais marcas mundiais garantem que em 25 anos de funcionamento os módulos estarão produzindo no mínimo 80% da sua capacidade.

Plataforma da Oak Energia: sua solução sustentável personalizada está aqui

Para você ter ideia, através da plataforma da Oak Energia, já foram comercializados módulos de 330W até módulos de 540W. O preço de todas essas tecnologias oscila constantemente, pois é embasado no dólar. Então para achar a melhor tecnologia você precisa realizar uma boa pesquisa.

E claro que isso pode, e é feito, pela plataforma da Oak Energia com grande facilidade, sem sair da sua casa, sem você possuir estoque e sem precisar pagar por uma grande franquia.

Através da plataforma da Oak Energia você pode comprar seu sistema fotovoltaico personalizado e também pode atuar no mercado de energias renováveis, fazendo boas vendas de sistemas fotovoltaicos.

Tipos de módulos fotovoltaicos

Modulos_fotovoltaico-removebg-preview.png
Tipos de módulos fotovoltaicos
As tecnologias utilizadas nos módulos fotovoltaicos estão avançando constantemente. Atualmente, podemos encontrar no mercado módulos fotovoltaicos de silício policristalino e monocristalino, ambos de diversas potência. Então qual módulo fotovoltaico utilizar em cada caso? Tanto a potência quanto as outras características dos módulos devem ser avaliadas para cada necessidade.
Por exemplo, os clientes que possuírem muita área disponível para a instalação do sistema, podem optar por módulos policristalinos de menor potência. Com certeza é possível encontrar esses módulos com ótimos preços, pois já não são tão modernos (quanto os monocristalinos) e assim você conseguirá construir bons sistemas com baixos custos.
Em contrapartida, aqueles clientes que a área for um fator limitante ou estiver em uma área com baixa radiação solar, os módulos monocristalinos e de maior potência são os mais recomendados. Esses módulos são mais modernos e mais eficiente, permitindo boas produções de energia mesmo em pequenas áreas.

Outros tipos de módulos fotovoltaicos

Além desses módulos, existem os módulos fotovoltaicos bifaciais. Isso mesmo, são módulos fotovoltaicos que produzem energia pelos dois lados do módulo. Essa capacidade eleva em até 30% a capacidade de produção de um módulo fotovoltaico. Além desses módulos serem ainda mais bonitos, o que contribui para a estética de áreas externas, garagens e outros, são ainda mais produtivos. A utilização dos módulos bifaciais pode contribuir com um aumento de até 30% na produção de energia.
Outros módulos fotovoltaicos também estão presentes no mercado, como por exemplo:

Inversor solar

Com a utilização de um inversor solar, é possível converter a corrente contínua (CC) em corrente alternada (CA). Essa corrente alternada pode ser utilizada em todos os equipamentos e eletrodomésticos que possuímos. Além disso, outra grande vantagem dos inversores é a capacidade de nos permitir monitorar online a energia produzida.
inversores.jpg
Inversor solar
Basicamente existem os seguintes tipos de inversores:

Microinversor

61aHZQCsKEL._AC_SL1000_-removebg-preview.png
Micro inversor solar
Os microinversores são os inversores solares de menor capacidade de potência. No mercado é possível encontrar a partir de 0,6 kW de capacidade de potência. Nesses micro inversores é possível ligar de um até quatro módulos fotovoltaico e por isso são utilizados em pequenos sistemas fotovoltaicos.
São aplicados em telhados com várias águas, ou seja, telhados recortados, que possuem posições e inclinações diferentes. Essas são as melhores aplicações para esses micro inversores. Vale destacar que são instalados debaixo dos módulos fotovoltaicos, contribuindo com a estética do local de instalação. De forma geral, os micro inversores são mais caros que os inversores do tipo Grid tie que veremos agora.

Inversor Grid tie (string)

Os inversores Grid tie “conectado à rede” são os mais utilizados por aqui no Brasil, assim como em todo mundo. Esses modelos de inversores permitem conectar alguns conjuntos de módulos fotovoltaico (strings). Clientes que possuem seus telhados com poucos recortes podem receber esse tipo de inversor e ter ótimas produções de energia. Além de controlar a produção de energia, esses inversores nos permite monitorar online, toda a produção de energia elétrica.
É através desse tipo de inversor que é possível acompanhar a produção e os bons retornos financeiros. Vale destacar e muito, que atualmente é possível encontrar o inversor ongrid da marca SolarEdge. Esse inversor permite maximizar a produção de energia de cada módulo fotovoltaico.

Inversor Solaredge

O inversor SolarEdge possui um otimizador de eficiência que conecta em todos os módulos fotovoltaicos. E esses otimizadores permitem acompanhar e maximizar a produção de energia individual de cada módulo. Além dessa grande vantagem que permite detectar defeito em qualquer módulo, o inversor SolarEdge mantem todos os módulos com sua máxima produção de energia durante todo o dia. Dessa forma, aquele módulo que estiver na sombra (em algum determinado período do dia) não afeta, negativamente, a produção de energia dos demais módulos.

Inversor central

Inversor-central.png
Complexo solar fotovoltaico com inversor central
Esse tipo de inversor central é utilizado em  grandes usinas solares, que pela grande potência, já estão enquadradas como geração centralizada (GC). Mas você tem interesse em saber quais são os maiores complexos solares do Brasil?
Claro que a equipe da Oak Energia visitou os cinco maiores sistemas fotovoltaico do Brasil. Essas mega obras do possuem esse tipo de inversor central e milhares até milhões de módulos fotovoltaicos. Confira os vídeos que já postamos aqui sobre nosso projeto: os gigantes pela própria natureza, os 05 maiores sistemas fotovoltaicos do Brasil.

Tipos de sistemas fotovoltaicos (conectado à rede, autônomo e híbrido) suas vantagens e desvantagens

Ilustração de sistema fotovoltaico ongrid e offgrid
Tipos de Sistemas Fotovoltaicos
Tipos de sistemas fotovoltaicos (conectado à rede, autônomo e híbrido) suas vantagens e desvantagens
Antes de apresentar para vocês essas três classificações, as vantagens e os benefícios, vamos ver as 10 principais vantagens de obter um sistema fotovoltaico personalizado.

10 Principais vantagens de um sistema fotovoltaico personalizado

Veja a seguir as 10 principais vantagens de adquirir um sistema fotovoltaico personalizado.
Essas são, com certeza, as principais vantagens e benefícios que um sistema fotovoltaico personalizado pode proporcionar a todos nós. Para alcançar todas essas vantagens, conhecer sobre essas tecnologias e obter um sistema fotovoltaico personalizado são as principais chaves para um excelente investimento nessa solução sustentável.

Sistema Fotovoltaico Off grid

Os sistemas fotovoltaico autônomos (off grid) foram os primeiros sistemas a surgirem e possuem como principal característica estarem desconectados da rede de distribuição de energia elétrica. Esses sistemas fotovoltaico autônomos possuem quatro (04) configurações técnicas, em função da presença ou não das unidades de armazenamento (baterias) e em função de produzir ou não corrente elétrica alternada.

Sistema fotovoltaico off grid com corrente alternada com armazenamento

foto_839567_20190528_103458.jpg
Sistema fotovoltaico Offgrid com corrente alternada e com armazenamento de energia
Nessa configuração, o sistema fotovoltaico é constituído por um arranjo fotovoltaico (conjunto de módulos), unidades de armazenamento de energia (baterias), controlador de carga e um inversor solar. Essa configuração permite a produção de corrente contínua (CC) e corrente alternada (CA), possibilitando o fornecimento de energia constantemente, sem depender da rede de distribuição.
De todas as configurações dos sistemas fotovoltaico autônomos, essa é a mais completa, pois tem capacidade de fornecer corrente contínua e alternada, independente da rede de distribuição. Exemplos da aplicação dessa configuração de sistema fotovoltaico autônomos são vistos em locais onde existem equipamentos alimentados com corrente contínua e equipamentos com corrente alternada. Por exemplo, podemos citar um pequeno ponto isolado em zona rural que utiliza lâmpadas de corrente contínua e equipamento elétrico conectado em tomada.

Sistema fotovoltaico off grid com corrente alternada sem armazenamento

Nessa configuração, é adicionado um inversor solar após os módulos fotovoltaico fornecendo corrente alternada, porém sem a presença das baterias para armazenamento. Como esses sistemas não são conectados à rede e não possuem baterias, sua funcionalidade fica restrita durante a produção de energia (ou seja, somente durante o dia).
Sistema fotovoltaico off grid com corrente alternada sem armazenamento
Sistema fotovoltaico off grid com corrente alternada sem armazenamento de energia
Essa configuração é utilizada para abastecer equipamentos que necessitam de corrente alternada e possuem funcionamento, somente, durante o dia. Os principais exemplos da utilização dessa configuração são os equipamentos que consomem corrente alternada como: bombas d’água, pequenos equipamentos e motores.
Este tipo de sistema possui uma desvantagem que são as alterações no padrão de energia em função da disponibilidade solar, o que pode queimar motores sensíveis. Dias de chuva e presença de nuvens podem comprometer a utilização dos equipamentos.

Sistema fotovoltaico off grid com corrente contínua e com armazenamento

Sistema Offgrid com corrente contínua e com armazenamento
Sistema Fotovoltaico Offgrid com corrente contínua e com armazenamento de energia
Esses sistemas fotovoltaicos são adequados para abastecer equipamentos elétricos que funcionam com corrente contínua. Como nessa configuração as baterias estão presentes, esse sistema permite o fornecimento de energia elétrica com ou sem produção simultânea. Nessa configuração as baterias também estão presentes permitindo armazenar a energia produzida e consumi-la em outros momentos (como por exemplo durante a noite, quando o sistema fotovoltaico não está produzindo energia).
Essas configurações de sistemas autônomos também são extremamente úteis e aplicados, por exemplo, em áreas rurais, para fornecer energia elétrica para consumo diário e noturno em diversos equipamentos como: bombas de água, torres e repetidores de internet, sistemas de iluminação isolados e tantos outros.

Sistema fotovoltaico off grid com corrente contínua e sem armazenamento

Sistema fotovoltaico com corrente contínua e sem armazenamento
SIstema fotovoltaico com corrente contínua e sem armazenamento de energia
Essa configuração é a mais simples dentre todos os sistemas fotovoltaicos existentes. Neste tipo de sistema a energia elétrica produzida pelos módulos fotovoltaicos (corrente contínua) é utilizada no mesmo momento de sua produção. Esses sistemas fotovoltaicos são úteis para abastecer equipamentos que funcionam por meio de corrente contínua e que operam, exclusivamente, durante o dia. Os principais exemplos são os equipamentos que funcionam com corrente contínua e que são operados somente durante o dia, como: bomba de água; iluminação interna, sinalizações e outros.
Esses são os principais tipos de sistemas fotovoltaicos off grid (autônomo). Para você obter os melhores resultados, você deve conhecer as necessidades e interesses em cada caso. Somente após compreender esses interesses você conseguirá um sistema fotovoltaico personalizado.

10 Principais vantagens de utilizar um sistema fotovoltaico off grid (desconectado da rede elétrica)

Veja a seguir as 10 principais vantagens de utilizar um sistema fotovoltaico autônomo, ou seja, desconectado da rede elétrica (off grid)
Para conseguir aproveitar todas essas vantagens e tornar esse tipo de investimento atrativo, o sistema fotovoltaico off-grid também deve ser personalizado.

Sistema fotovoltaico Offgrid, é isso que você deseja?

Para conferir os detalhes sobre os principais tipos de sistemas fotovoltaicos off grid, veja esse vídeo que preparamos para você (seguidor do canal da Oak Energia no Youtube).

O que deve ser avaliado antes de instalar um sistema fotovoltaico conectado na rede (Ongrid)

Você tem interesse em investir em um sistema fotovoltaico personalizado para produzir sua própria energia elétrica, de forma sustentável? Você tem interesse em fazer boas vendas de sistemas fotovoltaicos? Antes de instalar e até mesmo de comprar um sistema fotovoltaico, sabe quais são os itens que devem ser observados para você obter os melhores retornos financeiros possíveis e evitar dor de cabeça?
Vale apena ler esse post para conhecer ainda mais sobre essas maravilhas modernas e adquirir sua solução personalizada com os melhores retornos para você, sua família e todos seus clientes.
Se o sistema fotovoltaico for instalado no telhado, deve-se avaliar a estrutura do local de instalação, a fim de verificar os seguintes itens: estrutura de sustentação do telhado, as condições das colunas, vigas e caibros, bem como o material e o estado das telhas .

Exemplo da avaliação estrutural para instalação de um sistema fotovoltaico

Ou seja, deve verificar se toda a estrutura do telhado consegue suportar o peso estimado do sistema fotovoltaico. Lembrando que cada módulo fotovoltaico pesa, aproximadamente, 20 kg por metro quadrado. Como possuem aproximadamente 2m2 cada módulo pesa cerca de 40kg. Veja o seguinte exemplo. Se você instalar um sistema de 10 módulos, terá 400kg distribuídos em uma área de 20m2. Ou seja, toda sua estrutura receberá aproximadamente 20kg/m2. Faça sempre essa avaliação técnica estrutural prévia.

Avaliação elétrica para instalação de um sistema fotovoltaico

Com relação às condições elétricas do local de instalação, deve se avaliar toda a estrutura elétrica que conecta o possível local de instalação à rede de energia da concessionária. Além disso, deve-se avaliar a estrutura elétrica interna do local de instalação. Ou seja, verificar os seguintes itens: condição dos cabeamentos, capacidade do disjuntor principal (A), tipo do padrão principal, potência do transformador e aterramento.
Observar e realizar as adequações elétricas são tão importantes quanto a compra do sistema fotovoltaico. Somente após a concretização das adequações, a concessionária irá homologar o sistema fotovoltaico junto à rede de distribuição de energia. Para conseguir essa homologação o mais rápido possível e atender todos seus cliente com os melhores resultados, lembre-se sempre de avaliar os seguintes itens no local de instalação:

Tensão da rede (V)

Cada rede elétrica, seja ela monofásica, bifásica ou trifásica, permite a instalação de alguns tipos específicos de disjuntor. E em cada estado brasileiro as fases das redes de distribuição são diferentes, podendo ser 127V ou 220V, ou até 380V em alguns casos específicos. Por isso, cada situação deve ser analisada, atentamente, e previamente a instalação do sistema fotovoltaico. Veja bem, aqui em Minas Gerais, por exemplo, a rede monofásica possui 127V de tensão. Já na Bahia, a mesma rede monofásica possui tensão igual a 220V.

Capacidade do disjuntor (A)

Por esse e outros detalhes, a análise do disjuntor é realizada em função da sua capacidade de permitir a passagem de corrente elétrica até determinado valor, que é medido em ampere (A). Então antes de instalar um sistema fotovoltaico certifique que o disjuntor do local de instalação irá suportar a corrente máxima que o sistema fotovoltaico irá produzir. Caso o disjuntor não suporte a capacidade do sistema fotovoltaico desejado, será necessário solicitar um aumento de carga junto à concessionária. Então se quer obter os melhores resultados, avalie todas as adequações possíveis do local de instalação antes de avançar para a compra do sistema.

Como saber a capacidade do disjuntor do local de instalação?

Pessoal, matematicamente, potência (medida em Watt) é igual a tensão (medida em volt) multiplicada pela corrente elétrica (medida em ampere). Então se você já sabe qual é a potência do sistema fotovoltaico que atende, realmente, a demanda de energia, basta conhecer qual é a tensão da rede que esse sistema será conectado. Com essas informações em mãos basta multiplicar um pelo outro (potencia do sistema fotovoltaico e tensão da rede) para determinar a corrente produzida pelo sistema. Consequentemente, essa será a capacidade, em amperes, que o disjuntor do local de instalação deve possuir.
Aqui cabe uma boa observação:
Quando falamos de potência do sistema fotovoltaico, segundo a legislação da ANEEL, vale analisar tanto a capacidade do inversor (medida em kW) quanto a potência do conjunto de módulos fotovoltaicos instalados (medida em kWp). Nos casos que há diferença entre a capacidade do inversor e a potência do conjunto de módulos, deve se considerar o item de menor potência.
Com essas duas informações em mãos (a potência do sistema fotovoltaico e a tensão da rede do local de instalação) você já saberá se será necessário ou não, substituir o disjuntor do local de instalação. Ou seja, se será necessário fazer um pedido de aumento de carga junto a concessionária. Vamos ver um exemplo para ficar mais fácil.

Exemplo de cálculo do sistema fotovoltaico em função do disjuntor e tensão da rede

Aqui em Minas Gerais temos a rede monofásica de 127V, a rede bifásica de 220V e a rede trifásica que pode ser de 220V ou 380V. Uma residência com um disjuntor de 63A conectada à uma rede monofásica de 127V, pode instalar um sistema fotovoltaico de até 8kW, sem ter que fazer nenhuma adequação no disjuntor.
Essa potência máxima do sistema fotovoltaico para esse exemplo, foi encontrada multiplicando a capacidade do disjuntor do local de instalação (que é 63A) pelo valor de tensão de rede (que nesse exemplo foi de 127V). Obtivemos então os 8kW que é a potência máxima para essa situação (uma casa com um disjuntor de 63A e conectada em uma rede monofásica 127V).

Regra de ouro: faça sempre as adequações previamente à compra da solução personalizada. Esse é o caminho para obter os melhores retornos financeiros possíveis.

Devido a grande importância de avaliar as características elétricas previamente a compra de um sistema fotovoltaico, preparamos mais esse vídeo para você. Veja com calma como fazer essas contas e saber se o sistema fotovoltaico que deseja poderá ser instalado ou se será necessário realizar alguma adeauação.

Como realizar um ótimo projeto de um sistema fotovoltaico

Todo projeto fotovoltaico é único (personalizado), tornando o processo de construir um orçamento particularmente cheio de detalhes. Os principais fatores que interferem em um projeto fotovoltaico são avaliados neste post. Para o consumidor de energia elétrica comum, o desconhecimento sobre os fatores que devem ser considerados para um projeto fotovoltaico pode resultar na escolha de uma usina fotovoltaica que diverge de seu cenário de atuação de duas formas:

Fatores que interferem em um projeto de um sistema fotovoltaico

Para ajudar nossos clientes a fazerem boas escolhas na hora de instalar um sistema fotovoltaico, fizemos este apanhado com os principais fatores que interferem em um projeto fotovoltaico personalizado.

Classe de consumo

A classe de consumo vem descrita em sua conta de luz e é de vital importância para o projeto fotovoltaico, já que existem inversores de frequência específicos para redes monofásicas, bifásicas e trifásicas. Além de especificar o tipo de inversor do projeto, a classe de consumo determina qual será a taxa mínima a ser paga para a distribuidora de energia. Caso a rede seja monofásica, o consumidor pagará uma taxa mínima de consumo equivalente a 30 kWh. Nos casos de rede bifásica a tarifa mínima é de 50 kWh e nos casos em que a rede é trifásica a tarifa é equivalente ao consumo de 100 kWh.
Portanto, ao dimensionar um sistema fotovoltaico, é importante calcular a energia compensável da unidade consumidora. O cálculo da energia compensável é simples de ser feito e segue a seguinte fórmula:
Energia Compensável = Quantidade Energia Consumida no Mês – tarifa mínima (monofásico = 30kWh/mês, bifásico = 50kWh/mês ou trifásico = 100kWh/mês).
Suponha uma residência que consome 200 kWh mês e possui rede bifásica. O sistema fotovoltaico a ser gerado deverá gerar 150 kWh mês em média para oferecer a melhor relação custo benefício a este consumidor localizado na rede bifásica.

Direcionamento do telhado ou desvio azimutal

O desvio ou ângulo azimutal refere-se ao azimute solar. Para os residentes do hemisfério sul apontamos para o norte geográfico. Um sistema fotovoltaico apontado para o norte apresenta o melhor desempenho de geração pois acompanha a maior disponibilidade de luz no decorrer no dia. Portanto, avaliar o desvio azimutal do telhado ou local de instalação do sistema fotovoltaico pode ser feito usando uma bússola neste local. A partir da medição da bússola é possível marcar este desvio em graus podendo variar entre 180º O e 180º L. Use um aplicativo do seu celular e registre.
O projetista fotovoltaico considera portanto este desvio em programas especializados para desenvolvimento de projetos ajustando a quantidade de placas fotovoltaicas quando necessário. As estruturas de fixação dos painéis fotovoltaicos representam parte expressiva dos custos de um sistema fotovoltaico. De modo geral, é mais barato instalar o sistema já aproveitando a estrutura de telhado existente e fazer a compensação do desvio azimutal em cima do número de placas. Mas cada caso deve ser avaliado especificamente.

Inclinação do telhado

Assim como no caso acima, a inclinação em relação ao sol tem considerável diferença na hora de se projetar um sistema fotovoltaico. As células fotovoltaicas comerciais estão envoltas em uma moldura de alumínio e vidro e aproveitam o espectro da luz que passa através do seu vidro de proteção. A inclinação ideal de um sistema fotovoltaico é calculada com base na latitude do local de instalação, o que acarreta em uma inclinação ideal comum a você e seus vizinhos.
Como aproximação para sistemas fotovoltaicos ongrid pode-se considerar a latitude do local menos 1 grau (º), mas lembre-se que aproximações não são o cenário ideal para um projeto fotovoltaico. Quando instalado em um telhado, as placas fotovoltaicas aproveitam a inclinação deste telhado. A inclinação deste pode ser medida através de aplicativos de smartphones, bem como avaliada a partir das plantas de projeto do imóvel. A melhor inclinação para os sistemas fotovoltaicos instalados no hemisfério sul (Brasil) é 20°.

Horas de Sol pico

Horas sol pico (HSP) refere-se a quantas horas por dia o sol é capaz de proporcionar o pico de produção do sistema fotovoltaico. Um gráfico de horas de sol pico têm o formato de sino. Este mesmo formato de gráfico percebido ao medir a geração de um sistema fotovoltaico, comprovando dessa maneira, a importância desta variável dentre os fatores que interferem em um projeto fotovoltaico. Existem bases de dados para fornecer com precisão o valor HSP de uma determinada coordenada geográfica. Como exemplo podemos citar João Monlevade MG com 4,8 horas de sol pico em média por dia. Utilize o site do CRESESB para verificar a radiação dos seus locais de instalação.

Sombreamento

Um dos fatores que mais interfere em um projeto fotovoltaico é o sombreamento. O sombreamento sobre os módulos fotovoltaicas limita muito a produção de energia elétrica da usina como um todo. Isto é agravado quanto maior a usina em questão, visto que a potência de produção de energia elétrica total será igual a potência na área de menor incidência solar. Portanto, é de primordial importância avaliar ao longo de diferentes estações do ano se o local onde pretende instalar o sistema fotovoltaico não recebe nenhum tipo de sombreamento.

Análises dos fatores

Os fatores supracitados devem ser considerados na elaboração de um projeto de usina fotovoltaica conectada a rede. Como benefício a observância destes critérios terá um sistema projetado de forma eficiente e sob medida para seu caso.
Portanto, escolher bons fornecedores e avaliar cuidadosamente as soluções disponíveis no mercado certamente te economizará dinheiro e trará os melhores resultados de produção de energia elétrica. Esta é a especialidade da Plataforma da OAK Energia. Comparamos diferentes projetos de fornecedores de competência atestada para te entregar a melhor solução personalizada para você substituir gastos da conta de luz pela produção de energia elétrica.
Solicite seu orçamento, aproveite o sol, produza sua própria energia e ganhe dinheiro no mercado de energias renováveis!

    Solicitar consultoria para energia solar fotovoltaica

    Digite o texto que você vê nesta imagem para termos certeza de que não é um robô fazendo spam: captcha

    Sistema Fotovoltaico conectado à rede (on grid)

    Os sistemas fotovoltaicos Ongrid possuem como principal característica a conexão com a rede de distribuição de energia. Nessa configuração, após a conversão da energia solar em energia elétrica, toda energia produzida pode ser consumida no local ou pode ser inserida na rede de distribuição e ser transformada em créditos de energia ou até mesmo ser consumida em outros locais.
    Sistema fotovoltaico Ongrid
    Sistema fotovoltaico Ongrid (75 kW = teto da micro geração)
    Além dos módulos fotovoltaicos, nos sistemas fotovoltaicos também estão presentes os inversores solares. Esses são responsáveis por converter a corrente contínua produzida pelos módulos solares em corrente alternada para ser consumida. Os inversores também são responsáveis por monitorar toda energia produzida pelo sistema fotovoltaico e permitem o monitoramento via Wi-fi. Portanto, os inversores permitem monitorar toda energia produzida de forma remota. Obrigado queridos inversores solares.
    A corrente alternada produzida durante o dia é adicionada à rede elétrica da nossa casa, empresa ou fazenda, (local onde o sistema fotovoltaico está instalado) e abastece a demanda de energia dos nossos equipamentos e eletrodomésticos. Vale destacar que o excedente de energia produzida durante o dia é adicionado na rede de distribuição e fica na forma de créditos de energia.

    Crédito de energia

    Esse crédito de energia será utilizado durante o período noturno ou pode ser “repassado” à outra unidade consumidora localizada em outro endereço. Para que esse repasse de crédito de energia ocorra com sucesso, ambos os endereços devem, obrigatoriamente, estar conectados na mesma rede de distribuição e com as respectivas contas de luz em mesmo nome (ou seja, todos no mesmo CPF ou todas no mesmo CNPJ).
    Para que os crédito sejam destinados corretamente, exija da empresa instaladora a correta distribuição para cada unidade consumidora na data da homologação do seu sistema fotovoltaico. Atente a isso, pois é seu retorno financeiro que está na jogada. Quer ficar por dentro de como fazer essa divisão e todos os detalhes sobre os créditos de energia?

    10 Principais vantagens de utilizar um sistema fotovoltaico conectado à rede (on grid)

    Veja a seguir as 10 principais vantagens de utilizar um sistema fotovoltaico conectado à rede (on grid).
    Para alcançar todas essas vantagens, você tem que compreender os reais interesses e necessidades de cada um dos seus clientes. Só assim construirá um sistema fotovoltaico personalizado capaz de proporcionar todas essas vantagens.

    Sistema fotovoltaico híbrido

    Nessa configuração híbrida, o local onde o sistema fotovoltaico está instalado é conectado a uma rede de distribuição de energia e a um banco de baterias. A principal vantagem dessa configuração é que, se houver alguma falha na rede de distribuição de energia durante o dia (ex. alguma manutenção ou suspensão do abastecimento), o sistema fotovoltaico continua a realizar o fornecimento de energia elétrica e manter o abastecimento sem interrupções. As desvantagens desse tipo de sistema é a presença das baterias e o pagamento de conta de luz (taxas e as tarifas de iluminação pública).
    Você tem interesse aprender ainda mais sobre os sistemas fotovoltaicos híbridos? Então, veja esse vídeo que preparamos para te explicar um pouco mais.

    Quer ficar por dentro disso e muito mais? Se inscreva no Canal da Oak Energia no Youtbe

    Siga a Oak Energia no Youtube

    Aula ao vivo todas as quintas-feiras às 20:04 h.

    Como conquistar a homologação de um sistema fotovoltaico e fazer uma instalação perfeita

    Você tem interesse em investir em um sistema fotovoltaico personalizado para produzir sua própria energia elétrica, de forma sustentável? Para realizar uma instalação perfeita e até mesmo comprar seu sistema fotovoltaico? Saiba quais são os itens que devem ser observados para você obter os melhores retornos financeiros possíveis e evitar dor de cabeça. Vale apena ler esse post para conhecer ainda mais sobre essas maravilhas modernas, bem como adquirir uma solução personalizada com os melhores retornos para você e seus clientes.
    A instalação de um sistema fotovoltaico é um processo simples, porém deve ser realizada com total atenção e por especialistas qualificados. Para obter sucesso nesse procedimento, o mais prudente é você avaliar no mercado da sua região uma empresa especializada, com um bom portifólio, profissionais treinados e certificados, garantindo assim a melhor instalação possível. Antes mesmo de você começar a fazer a instalação do seu sistema fotovoltaico, é extremamente necessário fazer um levantamento atencioso, sobre alguns itens importantes para não ter problemas ao longo dos longos anos que virão.

    Dica de ouro da Oak Energia: Faça as adequações antes de comprar um sistema fotovoltaico

    Realizar avaliações prévias, bem como as adequações necessárias, permitirá que o sistema fotovoltaico seja instalado e homologado junto à concessionaria o mais rápido possível, gastando menos e produzindo mais. Cada pessoa, cada residência e cada empresa possui uma situação particular. E por isso, cada caso deve ser avaliado, especificamente, em função de suas características (tanto elétricas quanto estruturais). Como resultado, o que toda instalação de sistema fotovoltaico possui em comum são algumas etapas básicas. Nesse sentido, se você seguir essas etapas, irá conquistar os melhores resultados: economia e agilidade na instalação. Acima de tudo, irá se tornar produtor de sua própria energia a partir do sol.

    Veja a seguir as principais etapas para realizar uma instalação perfeita de um sistema fotovoltaico

    • Etapa 1: Definição da conta de energia ou das contas de energia que serão incluídas no projeto do sistema fotovoltaico
    • Etapa 2: Definição do endereço de instalação
    • Etapa 3: Avaliação da condição elétrica e estrutural do local de instalação
    • Etapa 4: Realização das adequações necessárias
    • Etapa 5: Elaborar um projeto personalizado
    • Etapa 6: Realizar a instalação perfeita do sistema fotovoltaico
    • Etapa 7: Fazer a homologação do sistema junto à concessionária
    A seguir, confira os detalhes e as características dessas etapas para conquistar uma instalação perfeita. Em síntese, lembre-se sempre: observar esses detalhes desde o início dos planos, trará os melhores resultados financeiros.

    Etapa 1. Definição da conta de luz ou das contas de luz que serão incluídas no projeto do sistema fotovoltaico

    Antes de mais nada, o primeiro passo é definir o endereço ou os endereços que você deseja incluir no projeto fotovoltaico. Ou seja, qual ou quais contas de luz serão incluídas para cálculo da potência do sistema fotovoltaico? Sempre lembrando que se você quiser colocar mais de uma conta de luz em um sistema fotovoltaico, todas essas contas devem estar na mesma concessionária de energia e todas no mesmo CPF ou no mesmo CNPJ.
    Vale destacar que quanto maior for sua demanda de energia, maior será a potência do seu sistema fotovoltaico. Mas não se preocupe, os sistemas de maior potência possuem os melhores retornos (menores payback). Portanto, deve-se avaliar o histórico de consumo de energia de cada endereço. Para isso, basta avaliar o histórico de consumo dos últimos 12 meses presente em cada conta de luz. Após avaliar, definir a demanda de energia (kWh/mês) que deverá ser a produção teórica mensal do sistema fotovoltaico.

    Etapa 2. Definição do endereço de instalação do sistema fotovoltaico e do tipo de instalação

    Se você possui somente uma conta de luz e somente um endereço, será super simples, pois seu sistema possivelmente será instalado nesse local. Mas se você possui mais de um endereço, ou seja, mais de uma conta de luz, você deve avaliar qual é o melhor local para fazer a instalação, dentre todos os possíveis. Portanto, para a definição do endereço de instalação, recomendamos uma avaliação dos seguintes itens em todos os seus endereços possíveis: área sem sombreamento disponível, condições elétricas e condições estruturais. Nesse cenário, aposto que já surgiu aí na sua cabeça a seguinte dúvida:
    “Qual é o meu melhor lugar para instalar um sistema fotovoltaico?”
    O melhor endereço para fazer a instalação de um sistema fotovoltaico é aquele que possui área disponível sem sombreamento (seja telhado ou solo), juntamente com as melhores condições elétricas e estruturais. Em outras palavras, o melhor local para realizar a instalação do seu sistema fotovoltaico é aquele em que necessita do mínimo ou nenhuma adequação para realizar a instalação e homologação da solução. Vale destacar que ao definir o local de instalação, deve sempre lembrar da etapa de limpeza dos módulos fotovoltaicos. Acima de tudo, você precisa ficar atento! Atento não, muito atento! Verifique e planeje como será o acesso e o processo de limpeza dos módulos fotovoltaicos.

    Etapa 3. Avaliação da condição elétrica e estrutural do local de instalação do sistema fotovoltaico

    Você deve se atentar para as possíveis adequações do local de instalação, que poderão ser necessárias para instalar o sistema fotovoltaico. Anota mais essa aí: o levantamento de todas essas adequações deve ser realizado antes mesmo da compra do seu sistema fotovoltaico. Fui claro? Algumas adequações envolvem liberações e até obras das concessionárias de energia e nesses casos os prazos podem ser bem longos, chegando à meses. Contudo, fazer todas essas avaliações e até mesmo as adequações, previamente, à instalação do sistema, lhe proporcionará uma homologação rápida e sem imprevistos. E assim, dará início à sua produção de energia a partir do sol.
    Após determinar o exato local de instalação, você deve avaliar as condições elétricas e estruturais. Se seu sistema fotovoltaico for instalado no telhado, essa avaliação estrutural deve ser realizada a fim de verificar se toda a estrutura suporta os equipamentos. Em síntese os seguintes itens correlacionados ao telhado devem ser inspecionados: estrutura de sustentação do telhado, as condições das colunas, vigas e caibros, bem como o material e o estado das telhas. Verifique se toda a estrutura do telhado consegue suportar o peso estimado do sistema fotovoltaico.

    Veja o seguinte exemplo: cálculo do peso de um sistema fotovoltaico

    Lembrando que cada módulo fotovoltaico pesa, aproximadamente, 20 kg por metro quadrado e como cada módulo possui, aproximadamente, 2m2, cada módulo possui, aproximadamente, 40kg. Em suma, se você instalar um sistema que contenha 10 módulos fotovoltaico, terá 400kg distribuídos em uma área de 20m2, ou seja, toda sua estrutura receberá, aproximadamente, 20kg/m2. Já com relação às condições elétricas do local de instalação, deve se avaliar toda a estrutura elétrica que conecta o local de instalação do sistema fotovoltaico à rede de energia da concessionária. Deve-se avaliar a estrutura elétrica interna do local de instalação.
    Para fazer essa avaliação, verifique os seguinte itens:
    1. Transformador (verifique qual é a potência do transformador em kVA);
    2. Padrão principal de energia (verifique o tipo e as condições do padrão);
    3. Disjuntor (verifique qual a capacidade do disjuntor principal em A);
    4. Cabeamentos elétricos (verifique a condição elétrica dos cabos elétricos);
    5. Aterramento e outros itens elétricos específicos de cada local de instalação (verifique se há ou não aterramento).

    Etapa 4. Realização da (s) adaptação (ões) do local de instalação

    Se você perceber que existe algum item ou existem alguns itens que precisam ser adequados para receber o sistema fotovoltaico, você deve resolver essa etapa antes de avançar com a compra do sistema fotovoltaico. Dessa forma, você ou seu cliente irão comprar o sistema fotovoltaico com a certeza que ele será conectado com a rede da concessionária e então conquistará a tão sonhada homologação.
    Após determinar o exato local de instalação, você deve avaliar as condições elétricas e estruturais. Já esqueceu o que deve analisar? Volta lá em cima no tópico “Adequações” e reveja todas, mas nunca instale um sistema fotovoltaico sem antes avaliar todas as adequações necessárias.

    Regra de ouro: faça sempre as adequações previamente à compra da solução personalizada. Esse é o caminho para obter os melhores retornos possíveis.

    Etapa 5. Elaborar um projeto personalizado para atender a demanda de energia

    Após verificar e realizar as adequações no local de instalação e, claro, já está por dentro das tecnologias existentes, você deve fazer uma minuciosa avaliação no mercado para adquirir um sistema fotovoltaico, personalizado. Nesse momento, considere também seus planos futuros. Como resultado, poderá construir um sistema que lhe atenderá 100%.

    Etapa 6. Realizar uma instalação perfeita do sistema fotovoltaico

    Após adquirir o sistema fotovoltaico personalizado e está completamente tranquilo pois já realizou todas as adequações, é hora de colocar a mão na massa e instalar o sistema. Sempre a etapa de instalação deve ser realizada por empresas especialistas e certificadas para que assim, o cronograma seja cumprido e você não tenha dor de cabeça durante a instalação e muito menos ao longo dos próximos anos.
    Sob o mesmo ponto de vista, nunca troque uma equipe técnica por uma empresa de um homem só. Definitivamente, você já deve ter ouvido falar no barato que sai caro. Então quando o assunto for produzir energia, não troque o certo pelo duvidoso. Ainda assim lembre-se sempre, para fazer uma instalação perfeita de um sistema fotovoltaico, todas essas etapas que foram citadas aqui devem ser rigorosamente realizadas.

    Etapa 7. Fazer a homologação do sistema fotovoltaico junto à concessionária

    Definitivamente, seguir essas etapas é fundamental para você obter um sistema fotovoltaico personalizado, realizar uma instalação perfeita sem atrasos, sem dor de cabeça e receber a aprovação da concessionária. Logo após realizar todas essas etapas, você terá seu sistema fotovoltaico instalado e homologado. Assim, produzirá toda a demanda de energia elétrica necessária, de forma sustentável. Foi homologado? Está na hora de solicitar a divisão dos créditos de energia, caso tenha mais de uma conta de luz.
    Você e seus clientes não merecem menos, concretize uma instalação perfeita do seu sistema fotovoltaico e obtenha os melhores resultados financeiros.

    E aí, ficou alguma dúvida sobre essas etapas? Participe, deixe seu comentário.

    Você já viu ou participou de alguma instalação perfeita? Comente aqui embaixo sua experiência com sua instalação de sistema fotovoltaico. Afinal, sua participação é extremamente importante. Participe, venha promover a sustentabilidade conosco.
    Atenção: só assista esse vídeo se você quiser ficar por dentro das adequações que devem ser avaliadas antes de comprar um sistema fotovoltaico!

    Quais são as manutenções de um sistema fotovoltaico?

    De quanto em quanto tempo deve ser realizada uma limpeza dos módulos fotovoltaicos? Se você tem interesse manter um sistema fotovoltaico com a máxima eficiência possível, confira a grande importância de uma correta limpeza dos módulos fotovoltaicos. Se você tem interesse em saber como limpar os módulos do seu sistema fotovoltaico e compreender todos os benefícios que essa limpeza pode te proporcionar, fique ligado até o final.

    Exposição dos módulos fotovoltaicos no meio ambiente

    Os módulos fotovoltaicos ficam expostos à radiação solar e através do efeito fotovoltaico é possível converter está radiação em energia elétrica. Essa exposição tem a grande vantagem da produção de energia elétrica de forma sustentável. Porém o longo tempo de exposição ao ar livre, também permite que diversos materiais particulados presente no ar se depositem sobre os módulos. Em outras palavras, esse material suspenso no ar pode ser: poeira, pó, cinzas e diversos outros materiais. E todos esses podem depositar sobre os módulos e afetar a eficiência da produção de energia elétrica.
    Sistemas fotovoltaicos instalados no solo estão mais sujeitos a todos esses materiais particulados. Já os módulos instalados em telhados estão menos sujeitos, pois estão mais elevados, mesmo assim também estão expostos. Se você mora em um município que contêm muitas indústrias, ou se você é vizinho de alguma chaminés de forno a lenha, certamente deverá fazer a limpeza dos módulos com maior frequência. Os módulos fotovoltaicos são levemente limpos durante as chuvas, mesmo assim realizar uma correta limpeza só trará bons benefícios para manter a melhor eficiência na produção de energia elétrica.

    Limpeza dos módulos fotovoltaicos

    Veja bem, na prática o processo de limpeza dos módulos fotovoltaicos é simples e pode ser realizado por qualquer uma pessoa. Desde que sejam seguidas as principais observações, as devidas normas de segurança e de trabalho com eletricidade. Vale a pena destacar que as manutenções nos sistemas fotovoltaicos devem sempre ser realizadas com a segurança exigida pela NR 10, utilizando luvas, calçados isolados, capacete e outros.
    Os sistemas fotovoltaicos instalados em telhados elevados devem ser limpos com toda segurança necessária para a realização de trabalhos em altura. Para tanto, deve-se utilizar os itens de segurança recomendados pela NR 35, como: linha de vida, cinto de segurança com talabarte e capacete. Além desses itens, confira as cinco principais avaliações para realizar uma correta limpeza dos módulos fotovoltaicos com segurança e eficiência .

    1) Desligamento do sistema completo

    Antes de iniciar a limpeza dos módulos, sempre se lembre de desligar todo o sistema fotovoltaico. Basta desligar a chave da corrente contínua e da corrente alternada. Essa medida de segurança deve ser atrelada ao horário de limpeza.

    2) Horário de limpeza

    Logo no início do dia o sol ainda está fraco. Nesse momento os módulos ainda não estão produzindo energia elétrica e dessa forma o processo de limpeza será mais seguro. Faça sempre o processo de limpeza logo no inicio da manhã.

    3) Nunca pise nos módulos fotovoltaicos

    Por mais que os módulos fotovoltaicos são encapsulados com um estrutura metálica, é extremamente errado pisar neles. Seu peso tem grande chance de danificar as células fotovoltaicas, mesmo sem danificar a aparência dos módulos. Portanto nunca pise em ninguém e muito menos nos módulos fotovoltaicos.

    4) Limpeza dos módulos fotovoltaicos

    Durante a execução da limpeza, utilize somente os seguintes itens: água e um equipamento para esfregar os módulos. Caso a sujeira esteja realmente presa nos módulos (por exemplo, seu sistema ficou 1 ano sem lavar), você pode utilizar um sabão ou um detergente neutro, e claro, que seja um sabão ou um detergente biodegradável. Por fim, nunca deixe resíduos de sabão nos módulos, pois o sabão causará problemas assim como a própria sujeira ou até piores.

    5) Equipamentos de limpeza

    Durante a limpeza pode ser utilizada uma simples vassoura macia ou até equipamentos modernos, como as diversas tecnologias existentes no mercado. Realizando esses 5 itens que apresentamos, você terá seu sistema fotovoltaico limpo e com as melhores eficiência possível.
    Após a finalização da limpeza do seu sistema fotovoltaico não se esqueça de religar seu sistema e conferir se está tudo certo. Além disso, não se esqueça de tirar uma boa foto e divulgar entre seus amigos para compartilhar com todos sua independência energética.
    Ficou alguma dúvida? Participe, deixe seu comentário, curta, compartilhe com seus melhores amigos, venha promover a sustentabilidade conosco.

    Investir em um sistema fotovoltaico vale mais a pena do que investir em renda fixa?

    energia-solar-ou-renda-fixa.jpg
    Sistema fotovoltaico personalizado e seus ótimos retornos
    Hoje em dia, o mercado de capitais conta com diversos tipos de aplicações financeiras. Com isso, é comum que as pessoas tenham dúvidas se é melhor investir em energia solar ou em renda fixa, que é composta de papéis com baixo risco. Os dois tipos de investimento são semelhantes em alguns aspectos, como a segurança que oferecem ao investidor.
    Por outro lado, cada um deles também tem certas particularidades que precisam ser levadas em consideração. As aplicações de renda fixa têm sua remuneração estipulada antecipadamente na hora do investimento, ou seja, é limitada. Já o dinheiro alocado na aquisição de um sistema fotovoltaico tem o retorno sobre o investimento em um prazo estimado, além de uma renda variável permanente, conforme a economia com a fatura de luz.

    As vantagens de investir em sistema fotovoltaico

    A energia solar fotovoltaica como é comumente conhecida apresenta uma lucratividade mais atrativa do que vários outros tipos de investimento de renda fixa, como a poupança, o CDB e o Tesouro Selic. Mas, para fazer a sua escolha entre investir em energia solar ou em renda fixa, você precisa considerar questões que vão além do financeiro.

    Mais que dinheiro

    Antes de qualquer coisa, precisamos frisar que optar por uma aplicação em energia solar ou em renda fixa é uma decisão muito mais ampla do que pensar somente na rentabilidade oferecida. Trata-se de uma união de alguns fatores, como recursos financeiros, visão de futuro e conservação do ecossistema. Isso porque a energia proveniente do sol é totalmente limpa, renovável e infinita. Investir nesse tipo de energia também ajuda na criação de postos de trabalho, pois fomenta um setor que tem crescido muito nos últimos anos e segue com potencial enorme de expansão em todo o Brasil e no mundo.

    Retorno do investimento

    Obviamente, todo investidor quer ter um retorno do dinheiro aplicado. O prazo para ter de volta os recursos investidos em um sistema de energia fotovoltaica oscila entre dois e sete anos. Se você contar com um bom fornecedor, que desenvolva um projeto personalizado e adequado às suas necessidades, toda a instalação terá garantia de 25 anos, no mínimo. Já existem módulos fotovoltaicos em funcionamento há mais de 40 anos.
    Então, depois de recuperar o investimento, as placas fotovoltaicas e os demais equipamentos do sistema ainda oferecem cerca de pelo menos 20 anos para o consumidor. Isso significa que ele usufruirá da economia de uma conta de energia elétrica praticamente zerada por duas décadas após ter de volta, na sua conta bancária, o valor investido.

    Valorização do imóvel

    Uma propriedade que tem um sistema fotovoltaico instalado ainda propicia que o investidor tenha um ganho secundário. Afinal, o imóvel estará muito valorizado, já que a economia na conta de luz que o novo dono obterá impactará, positivamente, o preço da venda em até 6% a mais. O preço de venda do seu imóvel também aumenta porque manutenção das placas fotovoltaicas é muito simples e barata. A única necessidade é que elas sejam limpas regularmente, em especial nas épocas de tempo seco e pouca incidência de chuva.

    Baixo risco

    Investir em energia solar é uma aplicação considerada de baixo risco. Esse enquadramento se dá devido às especificidades de como funciona um sistema fotovoltaico. A tecnologia permite que o potencial de geração de um sistema seja previsto, segundo o histórico climático e os níveis de irradiação da área de instalação. Logo, é possível fazer o cálculo da quantidade de energia (kWh/mês) que será produzido, bem como aferir, com muita precisão, a quantia economizada na conta de luz todo o mês.

    Os benefícios de investir na renda fixa

    Os investimentos do mercado de capitais, independentemente de qual o tipo, têm uma característica em comum. Todos estão suscetíveis à volatilidade do setor, conforme os acontecimentos políticos e econômicos se desdobram. Isso significa que a renda fixa, embora seja considerada uma aplicação de baixo risco, traz consigo a ameaça de o investidor perder uma parte ou tudo o que aportou. Entre os papéis mais seguros e mais populares, estão: Poupança, Tesouro Direto, Debêntures, CDBs (Certificados de Depósito Bancário) e Letras de Crédito. Vejamos quais são os benefícios desse tipo de investimento a seguir!

    Possibilidade de liquidez

    A maior parte dos papéis de renda fixa tem liquidez no vencimento. Isto é, não é possível fazer o resgate antes do tempo. Ou você pode pegar o dinheiro aplicado fora do vencimento, mediante a retenção de parte ou da integralidade da rentabilidade. Entretanto, é possível encontrar aplicações com liquidez diária, sem a cobrança de alíquotas sobre a lucratividade. Porém, é preciso pagar o Imposto de Renda.

    Boa previsibilidade

    Por causa da prefixação da rentabilidade, nas aplicações de fundos com ativos alocados em renda fixa, o investidor consegue prever os valores a serem inseridos no seu planejamento financeiro de longo prazo. Quem tem o perfil mais conservador necessita de previsibilidade de cenários.

    A comparação entre o investimento em energia solar e em renda fixa

    Um painel fotovoltaico capacitado para produzir 1000 kWh mensais, caso a distribuidora que atende à área cobre R$ 0,95 por kWh, pode economizar R$ 5.700 todos os anos (500 kWh mês x R$ 0,95 kWh x 12 meses). Agora, façamos um cálculo de um papel de renda fixa. Supondo que a rentabilidade tenha sido 6,28% no ano, e a Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia) tenha sido de 13,65% ao ano, quem aplica R$ 25 mil em uma Letra do Tesouro Nacional que rende 10,17% lucrará R$ 2.542,50, bem abaixo do sistema de energia solar.
    Então, podemos afirmar que investir na produção de energia fotovoltaica representa, praticamente, o dobro da rentabilidade em comparação aos títulos mais competitivos de renda fixa. Quando somamos isso às vantagens ambientais e à oportunidade de não ser mais refém dos aumentos na tarifa de energia elétrica, os benefícios ficam ainda mais completos e atrativos.

    Principais conclusões sobre os sistemas fotovoltaicos

    Neste post, mostramos para você desde o conceito básico do efeito fotovoltaico e as células fotovoltaicas, até os bons investimentos que os sistemas fotovoltaicos podem nos proporcionar. Como vimos, a lucratividade do sistema fotovoltaico ficou acima da poupança, do CDB e dos demais papéis de baixo risco. Isso posto, podemos afirmar que quem tem por hábito deixar o dinheiro parado está perdendo uma grande chance de fazer um investimento de qualidade.
    O mercado de compra e venda de sistemas fotovoltaicos está aquecido e você também pode obter bons retornos financeiros atuando com vendas de sistemas fotovoltaicos. Seus familiares, vizinhos, amigos e conhecidos pagam uma conta de luz. Então não perca tempo, faça boas vendas de soluções sustentáveis personalizadas através da plataforma da Oak Energia. Conquiste sua independência financeira através de bons negócios com os sistemas fotovoltaicos.
    E aí, aprendeu ainda mais sobre como obter os melhores retornos possíveis com os sistemas fotovoltaicos? Então deixa seu comentário aqui para gente e compartilhe esse post com seus melhores [email protected]

    Quer ganhar dinheiro com vendas de sistemas fotovoltaicos?

    Siga a Oak Energia no Youtube

    Aula ao vivo todas as quintas-feiras às 20:04 h.

    Deixe um comentário